Quem somos

REDE ACADÊMICXS EM RISCO


A rede foi criada pelas pesquisadoras Francesca Lessa e Rosario Figari Layús em 2018 como resultado da oficina “A persistência da Impunidade na luta pela Verdade, Justiça, Memória e Reparação na América Latina: os defensores dos direitos humanos em risco (The persistence of Impunity in the struggle for Truth, Justice, Memory and Reparation in Latin America: Trials’ human rights defenders at Risk”), no âmbito da Conferência da Associação de Estudos Latino-Americanos (LASA), realizada em Barcelona. Durante a oficina, na qual participaram investigadores e ativistas de várias disciplinas das ciências sociais e dos direitos humanos, teve lugar um intercâmbio sobre as experiências de assédio, restrições e violência que ativistas e acadêmicos tem sofrido em diferentes países da América Latina. A urgência desta questão na atual situação política e social na América Latina e a necessidade de tomar medidas coletivas para tornar esta situação visível e lhe pôr fim tornou-se evidente.

Entre os tipos de assédio e violência sofridos por acadêmicos e professores em universidades e instituições de pesquisa estão: ameaças, ataques físicos concretos a investigadores e/ou as suas casas e escritórios, ameaças a membros da família, roubo de documentação e material de pesquisa, campanhas de estigmatização e difamação na imprensa, acusações públicas por autoridades governamentais, queixas judiciais e incursões policiais a casas e locais de trabalho, bloqueio de publicações ou mesmo rejeição de propostas de investigação cujos temas são vistos como inconvenientes por algumas instituições acadêmicas.

Este assédio pode adquirir maior ou menor intensidade e ter consequências em diferentes níveis: tanto na esfera pessoal e profissional dos pesquisadores, como a nível acadêmico e social. Estas agressões não só afetam seriamente a integridade física, econômica, psicológica e emocional daqueles que as sofrem diretamente, mas também implicam um ataque à liberdade acadêmica, ao pensamento crítico e à produção e difusão de conhecimento, fundamentais para o desenvolvimento social, político e democrático de qualquer sociedade.
A rede é formada por pesquisadores de aproximadamente 15 países diferentes que fazem pesquisas na e sobre a América Latina. Dada a preocupante situação de risco enfrentada por acadêmicos em várias regiões do mundo, a rede pretende contribuir com a divulgação da situação atual de agressões e ataques em diferentes fóruns e instâncias nacionais e internacionais e divulgar entre colegas casos atuais de intimidação / assédio em diferentes países. Outro objetivo da rede é colaborar com a construção de estratégias de apoio e solidariedade para acompanhar os companheiros e companheiras que passam por situações de intimidação ou violência.